Religião, cultura e sentimento de pertença

Novo livro de Arnaldo Gonçalves foca religião, cultura e sentimento de pertença

Numa altura em que se debate cada vez mais a integração das comunidades islâmicas no seio das culturas de acolhimento no Ocidente, o académico e jurista Arnaldo Gonçalves publicou um livro que estuda a interligações entre religião, cultura e sentimento de pertença. A obra é a primeira de Gonçalves publicada em língua inglesa.

1.Arnaldo.jpg

João Santos Filipe

Um livro que analisa as relações entre a religião, a cultura e o sentimento de pertença a uma sociedade e que é o resultado de questões existencialistas cada vez mais presentes na mente do autor. É desta forma que Arnaldo Gonçalves, jurista e professor de Ciência  Política e Relações Internacionais, descreveu a sua última obra, que foi publicada a 30 de Junho em língua inglesa com o título “Religion, Culture and Sense of Belonging” (“Religião, Cultura e Sentimento de Pertença”, em português.

“É uma análise das relações que existem entre a religião, a cultura e aquilo que chamo o sentimento de pertença nas nossas sociedades. Como é que estas três dimensões interagem umas com as outras”, disse Arnaldo Gonçalves, ontem, ao PONTO FINAL. “São traços comuns ao homem moderno dos nossos dias”, frisou.

No âmbito destas relações, um dos capítulos é dedicado à interacção entre os crentes muçulmanos e a integração nas comunidades britânicas, onde habitam. Uma análise feita à luz dos ataques terroristas mais recentes, principalmente em Londres: “Procuramos saber como é que o Islão se adequa à cultura ocidental, e sobretudo à cultural britânica porque a universidade [Universidade de Gales Trinity Saint David] no âmbito do qual surgiu este trabalho é britânica, assim os elementos em análise são ligados às comunidades britânicas”, explicou.  “Existem entre 2,5 milhões e 3 milhões de seguidores do Islão nas ilhas britânicas, o que é realmente uma comunidade muito composta, que acaba por ser vista muitas vezes de uma perspectiva minimalista, ligada à questão do terrorismo. Mas é uma comunidade britânica, que se afirma como britânica”, acrescentou.

Este é um tema que o autor decidiu abordar também por sentir haver falta de uma voz portuguesa a discuti-lo. Por outro lado, Arnaldo Gonçalves admite que à medida que avança na carreira e em idade que “as questões da existência começaram a ter uma importância crescente”.

“Achei que havia cada vez mais necessidade de também haver uma voz portuguesa a discutir o tema. O livro está em inglês, mas isso é porque permite um maior acesso por parte do sector académico, porque os livros em português têm uma circulação mais limitada. Queria um livro que tivesse uma circulação maior”, justificou.

O trabalho foi publicado pela editora alemã Scholars’ Press, que se dedica a livros académicos em diferentes áreas, incluindo as ciências sociais, do qual este faz parte.

Via Ponto Final.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s