Serviço Nacional de Saúde

António Arnaut vive num tempo cristalizado em clorofórmio como se o país não tivesse mudado desde Abril de 1974. Naturalmente ele que foi o fundador do SNS é natural que veja o SNS como uma criança predilecta. Faz-me lembrar Jorge Miranda com a Constituição de 1976. Mas tudo na vida muda. E o SNS não tem condições de sustentabilidade tal como está. No fervor revolucionário de 1974 importámos políticas dos países ricos do Norte da Europa sem termos a contrapartida da indústria, do tecido empresarial, da capacidade de desempenho, da produtividade. Criámos um sistema que imaginávamos que se financiava a si próprio. Não há culpados directos, todos os actores políticos do tempo embarcaram nisso (Mário Soares, Sá Carneiro, Freitas do Amaral, Álvaro Cunhal). Mas não o SNS carece do dinheiro dos contribuintes e das transferências financeiras do Estado. E o Unknowndinheiro não cai do céu aos trambolhões, meu caro António Arnaut. Só na fábula bíblica do maná. Mas a vida é pouco recheada de milagres.

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Nacional/Interior.aspx?content_id=4572341

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s