Notas de fim do ano I

bandeiras

Não parece que este fim do ano traga algo significativamente interessante de ser comentado. No Médio Oriente as coisas não avançam. Depois do ‘fuss’ com a punição de Israel às posições do Hamas tudo voltou ao normal. Alguns atentados em Jerusalém que parecem actos mais individuais e desesperados que manobras organizadas de guerra. Na Europa a mesma coisa. Depois do escândalo com o favorecimento de multinacionais por parte do ex-Chefe de Governo do Luxemburgo tudo na mesma. Alicerça-se a convicção que a Comissão Europeia do Sr. Junkel não serve para nada. Fala a Sra Merkel nos intervalos passando correctivos a todos os países como se fosse ela a única que percebe da governação. É um tique autoritário que lhe ficou da educação leninista na Alemanha de Leste ou da engenharia mecânica. Na Ásia, Xi Jinping continua na sua operação de charme. Dentro de uma semana tê-lo-emos por estas bandas. É eximio na forma como faz o seu marketing pessoal e tem hoje por detrás de si uma máquina a passar mensagens e acenos, construindo afanosamente a imagem de um lider (um paramount leader) e a esposa. Gorbatchov foi exímio nisso também, embora seja credível que os dois homens não se suportem. Xi lançou uma bicadas quanto ao papel de Gorbatchov na implosão da União Soviética que não foram nada simpáticas. Na América, Obama prossegue a sua desinteressante caminhada para o fim do mandato com todos – democratas e republicanos – ansiosos em vê-lo pelas costas. É talvez um dos presidentes mais fracassados da história contemporânea dos Estados Unidos. Mas a América tinha de exorcizar aquele fantasma – do homem negro escravizado, manietado pelo homem branco no país da liberdade, ‘the chosen nation under God’. Acho que chega e voltaremos dentro de dois anos ao ‘business as usual’. Este ano foi marcado – como o passado – pelo extraordinário perfil humano do Papa Francisco, um homem de enorme visão e simpatia que revificou o Evangelho e o trabalho de evangelização da sua Igreja, num tempo de rarefacção da esperança, da moral e do respeito. Sente-se que é um lider para além do seu tempo com uma dimensão humana incrível, uma capacidade de harmonizar visões, crenças e olhares sobre Deus muito variadas. Tenho sempre que olho para ele a sensação de um tempo breve, muito breve. Acho que um dia destes se esfuma no ar. Espero que me engane.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s